Você já refletiu sobre como o processo de aprendizagem deve adequar-se à realidade dos professores e alunos? Para isso, foi desenvolvido o conceito de design thinking na educação, estimulando a inovação e a busca de soluções para os mais diversos problemas.

A metodologia é responsável por engajar os educadores a conhecer melhor as ideias e a visão de mundo dos indivíduos. Com isso, é possível planejar aulas mais dinâmicas e que estejam de acordo com o nível de conhecimento de todos os envolvidos.

Continue a leitura e descubra quais são os impactos do design thinking na educação, seus benefícios e como aplicar o conceito na sua escola. Acompanhe!

Entendendo o conceito de design thinking

Design thinking é uma tecnologia de aprendizagem que engaja os estudantes para a criação de projetos e suas soluções. O objetivo é que os alunos assimilem os conteúdos de forma mais humana, direcionando o foco para situações reais.

A abordagem também estimula a melhoria da organização das ideias, para que ocorra de maneira mais prática e intuitiva. Com isso, o design thinking oferece uma prática pedagógica inovadora e criativa, inclusive ao promover a empatia e o trabalho em equipe na sala de aula.

Dessa maneira, o professor estimula a capacidade da turma de pensar criticamente no mundo, incentivando o desenvolvimento de cada estudante. Confira a seguir as principais etapas de um processo de design thinking.

Imersão

Primeiro, o educador deve apresentar a questão que será trabalhada. Nesse ponto, todos os alunos devem registrar quais são os desejos e as necessidades dos indivíduos envolvidos na situação. É uma fase que serve para investigar os diferentes pontos de vista e a divergência de ideias, buscando, assim, uma solução criativa para o caso.

Análise

O levantamento e a análise dos dados é realizada para que possa ser elaborada uma síntese sobre o que foi percebido na etapa anterior. Geralmente, organiza-se as informações por padrões ou afinidades, delimitando-se bem qual é o objetivo da questão. Os dados podem vir de entrevistas e pesquisas.

Ideação

Aqui, as ideias são criadas e discutidas por meio da interação dos estudantes. Conhecida como “brainstorming”, a fase é responsável por encorajar as diferentes opiniões sobre a análise feita anteriormente — considerando-se a viabilidade e a eficiência da solução proposta.

Prototipagem

A prototipagem é o momento de validar as propostas levantadas em todas as etapas anteriores. Os alunos criam uma espécie de protótipo que deve representar uma síntese das ideias apresentadas, ou seja, a possível solução para a questão abordada inicialmente.

Testes

Na fase final dos testes, o educador deve realizar perguntas com o objetivo de estimular o aperfeiçoamento do caso. Geralmente, é um momento onde surge uma nova divergência de ideias, criando assim um espaço propício para se chegar a uma solução.

Aplicando o design thinking na educação

O design thinking tem sido um modelo bastante procurado pelas instituições de ensino, chamando a atenção de gestores e de professores. Isso porque a metodologia pode, além da prática em sala de aula, conciliar os diferentes interesses presentes na gestão escolar.

Isso é fundamental para manter os colaboradores motivados, pois o foco principal é voltado para os indivíduos e para as suas necessidades. Antes de pôr em prática, é importante ter acesso a uma consultoria em tecnologia educacional que apresente a metodologia aos gestores.

Aplicar o design thinking na educação promove maior engajamento e uma participação mais ativa dos alunos no processo de aprendizagem. Além de desenvolver diversas habilidades, a ferramenta tem sido considerada uma das formas mais eficientes para transformar o ensino e capacitar os indivíduos na busca de soluções criativas.

Gostou do conteúdo? Conheça também algumas tecnologias de aprendizagem que têm ajudado a inovar a educação. Até a próxima!