fbpx

Avaliação formativa e somativa, o que é e como aplicar nas escolas

Avaliação formativa e somativa, o que é e como aplicar nas escolas

Tradicionalmente, as avaliações são usadas para medir o quanto os alunos aprenderam até um determinado momento. Mas podem ser o método usado para ver se os estudantes estão atendendo aos padrões estabelecidos pelo estado, pela escola ou pelo professor em sala de aula.

Neste artigo, ensinaremos o que é avaliação formativa e somativa, quais são suas características e como é possível juntar os dois métodos e aplicá-los na escola. Para entender melhor o assunto, explicaremos detalhadamente sobre os dois tipos de avaliações. Acompanhe a leitura e saiba mais!

O que é avaliação formativa?

A avaliação formativa é um método contínuo que ajuda os professores a monitorar o progresso dos alunos e identificar quaisquer desafios que eles estejam enfrentando à medida que aprendem. Nesse sentido, inclui uma série de testes rápidos que fornecem feedback pontual sobre o desempenho dos estudantes. 

O objetivo da avaliação formativa é saber o quanto os alunos aprenderam ao passar de uma fase de aprendizagem para outra. Além disso, não há grandes riscos ligados a este modelo de avaliação e os desempenhos não são medidos em relação a uma rubrica ou referência padronizada. 

Testes e enquetes são exemplos clássicos de avaliação formativa. Assim como as avaliações baseadas em discussão e entrevistas de 5 minutos também fornecem informações importantes para entender o quanto os alunos sabem.

Seguem mais alguns exemplos de avaliações formativas:

  • jogos de aprendizagem;
  • atividades manuais;
  • trabalhos de casa;
  • parágrafos de reflexão;
  • questões para debate;
  • ensaios de música.

O que é avaliação somativa?

Trata-se de um método tradicional, com o qual o professor mede o desempenho do aluno usando uma análise padronizada. Ainda, é realizada no final do curso ou unidade instrucional e se baseia em resultados.

Ao contrário da avaliação formativa, a avaliação somativa tem um alto valor de pontuação e determina se o aluno passa para o próximo nível em seu aprendizado. Desse modo, o professor pode confiar nos resultados de um exame de fim de período para classificar os alunos e passá-los para a próxima fase. 

Entre os principais exemplos de avaliação somativa podemos citar:

  • exames de fim do período ou meio do período;
  • trabalho cumulativo durante um longo período, como um portfólio criativo ou projeto final;
  • testes de final de unidade ou capítulo;
  • testes padronizados que demonstram a responsabilidade da escola e são usados ​​para admissões de alunos.

Quais são as principais características da avaliação formativa e somativa?

As características da avaliação somativa incluem: 

  • validade;
  • confiabilidade;
  • variedade;
  • praticidade. 

Logo, é um método padronizado baseado em conhecimento e termina sempre com um resumo conciso dos resultados da avaliação.  

Já a avaliação formativa não mede o progresso do aluno em relação a uma referência ou rubrica e suas descobertas não são avaliadas. Em vez disso, concentra-se na coleta de feedback com o objetivo de melhorar a experiência de aprendizado dos alunos.

Vantagens da avaliação formativa

Ao contrário da avaliação somativa, que espera até o final para avaliar os alunos, a avaliação formativa fornece feedback instantâneo sobre o progresso deles, avaliando-os à medida que aprendem. Outra vantagem desse formato é que ele permite alterações no método de ensino enquanto a aprendizagem progride. 

Logo, a avaliação formativa estimula a aprendizagem personalizada, pois os professores podem usar o feedback que recebem para criar experiências únicas para cada aluno. Além disso, envolve os alunos no monitoramento de seu próprio progresso. 

O fato é que notas e pontuações podem simbolizar o desempenho do aluno, mas raramente incorporam fatores de aprendizagem relacionados, como disposição para aprender ou motivação. Ainda, as notas não são explícitas para o progresso do aluno, nem fornecem aos professores informações que possam aprimorar seus métodos de ensino.

Sendo assim, é necessário considerar reduzir o tempo que os professores gastam realizando avaliações somativas para poderem se concentrar na realização de avaliações formativas e diagnósticas.

Vantagens da avaliação somativa 

Um grande benefício da avaliação somativa é que ela motiva os alunos a prestarem atenção nas aulas. Ao contrário do que você obtém com a avaliação formativa, eles sabem que suas notas dependem de quão bem se saem nas avaliações e isso aumenta o compromisso com o estudo. 

 As avaliações somativas produzem resultados consistentes e é por isso que funcionam melhor para classificação. Ao contrário da avaliação formativa, que é exclusivamente adaptada às necessidades dos alunos, os métodos de avaliação somativa são projetados para produzir resultados semelhantes quando aplicados em contextos parecidos. 

Como ambas metodologias podem ser integradas e aplicadas na aprendizagem?

Existem formas diferentes de avaliar o progresso dos alunos e melhorar a aprendizagem tanto com a avaliação somativa quanto com a formativa.

A avaliação tradicional somativa contém dados diagnósticos importantes para professores, mas essa informação talvez chegue tarde demais para uma ação apropriada. Logo, respostas selecionadas e avaliações formativas, como trabalhos de casa e feedback contínuo da classe, servem como parte das ferramentas de avaliação de um professor.

Ter uma compreensão clara das avaliações somativas e formativas ajuda a monitorar o progresso em direção aos objetivos de aprendizagem e também a melhorar o processo de ensino, já que as metodologias funcionam simultaneamente para definir a experiência de aprendizagem e ensino. 

Um forte programa de avaliação em sala de aula deve combinar os dois métodos para fornecer uma avaliação equilibrada dos conhecimentos e habilidades dos alunos. Com pensamento cuidadoso e processos de planejamento, o educador coletará informações úteis sobre onde um aluno está em relação a seus colegas, suas metas gerais de educação e de aprendizado do estado.

Por fim, a avaliação formativa pode ser parte de uma avaliação somativa, familiarizando os alunos com o tipo de avaliação e fornecendo o feedback formativo que eles podem usar para a avaliação final. Além disso, também pode ser utilizada como parte do processo de apoio aos alunos na reflexão sobre a sua própria aprendizagem. Trata-se de uma abordagem inclusiva de avaliação, especialmente quando o método de avaliação é novo e desconhecido.

E então, achou o conteúdo útil? Compartilhe o artigo com seus amigos nas redes sociais!

Victor Tavares

Diretor de Projetos da Trivium. É apaixonado por tecnologia e educação, com ampla experiência em desenvolvimento de projetos de adoção de tecnologias educacionais. Reconhecido por ser Microsoft Certified Educator, Microsoft Office Specialist e Microsoft Innovative Educator.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.