fbpx

A importância de se desenvolver as competências emocionais

A importância de se desenvolver as competências emocionais

O atual cenário educativo tem sofrido transformações que visam desenvolver competências socioemocionais que são essenciais para todos os aspectos da vida social. No geral, a mudança permite que os educadores valorizem a diversidade de saberes e as diferentes vivências culturais dos alunos.

Nesse sentido, o trabalho tem como objetivo exercitar a empatia, o diálogo, a cooperação e a resolução de conflitos dentro do ambiente escolar. Com isso, os estudantes têm a chance de agir com mais autonomia, responsabilidade e determinação, o que acaba levando a uma realidade mais ética, democrática e inclusiva.

Acompanhe este post e entenda qual a importância de se desenvolver as competências socioemocionais e, ainda, dicas de como trabalhar tais habilidades nas instituições de ensino. Boa leitura!

Afinal, qual a importância de se desenvolver as competências socioemocionais?

Basicamente, as competências socioemocionais são todas as capacidades que visam o desenvolvimento das dimensões — comportamental e relacional — dos indivíduos. Tais competências podem se manifestar de diferentes formas na prática pedagógica, indo de encontro com os pilares da educação para o século XXI.

Nesse contexto, as escolas sempre valorizaram o desenvolvimento cognitivo como sendo um dos principais conhecimentos do processo de ensino e aprendizagem. Dessa forma, as instituições mais tradicionais sempre consideraram a inteligência matemática, linguística e científica em detrimento das competências socioemocionais.

No entanto, atualmente, o mercado de trabalho tem valorizado cada vez mais colaboradores com competências socioemocionais bem desenvolvidas. Por isso, o cenário educacional também tem passado por transformações importantes que apresentam algumas diretrizes, como é o caso da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

De acordo com a BNCC, as competências socioemocionais devem ser priorizadas em sala de aula pelos educadores, justamente para aperfeiçoar o desempenho acadêmico dos alunos. Assim, a rotina no ambiente de ensino tem sido contemplada com práticas pedagógicas que valorizam a atuação multidisciplinar e o exercício da escuta ativa, da cooperação e do respeito ao próximo.

Tudo isso visando, justamente, uma melhor resolução de conflitos e maior respeito às diferenças dentro das instituições escolares. Aqui, quem mais ganha são os alunos, que acabam tendo maior protagonismo e autonomia nos estudos e na vida pessoal como um todo.

Mas para seguir as diretrizes instituídas pela BNCC, é fundamental que os gestores escolares trabalhem os diversos aspectos das competências socioemocionais no dia a dia, incentivando os estudantes a se desenvolverem tanto para adquirir habilidades quanto para se destacar no futuro profissional.

Portanto, o ideal é que as instituições tracem um bom planejamento e implementem as mudanças gradualmente, de preferência oferecendo atividades, palestras, oficinas e eventos que contribuam para a formação educativa nesse sentido.

Como trabalhar as competências socioemocionais?

Antes mesmo do trabalho pedagógico ser realizado, é fundamental que as práticas estejam alinhadas ao projeto político-pedagógico da escola. Esse é o momento ideal de inserir as competências socioemocionais nas diretrizes e no currículo escolar para que sejam trabalhadas adequadamente ao longo de todo o ano letivo.

Além disso, todos os educadores devem estar cientes das mudanças para que a transmissão dos componentes curriculares esteja baseada nos princípios das competências socioemocionais. Ainda, é possível sugerir debates, jogos e propostas de atividades lúdicas que envolvam a autoanálise e a representação dos estudantes, como música, teatro e escrita.

Assim, a BNCC deve ser tida como base para todas as ações escolares. As metas de aprendizagem, por exemplo, devem ser elaboradas considerando o bom convívio, a harmonia e a integração dos indivíduos no ambiente de ensino. Segundo a BNCC, as competências socioemocionais são importantes para a inserção da criança e do jovem na vida social e no mercado de trabalho.

Pensando nisso, veja a seguir algumas dicas para desenvolver as competências socioemocionais no cotidiano escolar da melhor forma.

Disponibilize materiais didáticos atualizados

O primeiro passo é ter cautela em relação à escolha dos materiais didáticos que serão utilizados no processo de ensino. Primeiramente, eles devem estar atualizados e alinhados às competências socioemocionais, uma vez que a prática pedagógica deve fornecer o suporte técnico e as habilidades que precisam ser trabalhadas com os estudantes.

Além disso, ao ter um material atualizado, fica muito mais fácil o aluno se sentir motivado com os conhecimentos repassados. Ainda, o ideal é que os materiais didáticos se baseiem em diferentes métodos de ensino, proporcionando uma aprendizagem mais significativa e engajadora.

Incentive um ambiente escolar acolhedor

O ambiente escolar também deve ser acolhedor e ensinar valores e princípios importantes para a vida pessoal e profissional dos estudantes. Quando a instituição garante um espaço acolhedor de escuta, os alunos se sentem mais à vontade para formar vínculos e fazer amizades, inclusive com a própria comunidade de ensino.

Isso gera resultados positivos e pode contribuir para a melhora do desempenho educativo como um todo. Esse é um dos aspectos mais fundamentais de se trabalhar as competências socioemocionais, uma vez que os alunos criam mais sentido para a sua própria trajetória, tendo a chance de aprender habilidades para a vivência em sociedade.

Trabalhe a relação professor e aluno

Os professores têm contato direto com os estudantes em sala de aula por meio da prática pedagógica. Por isso, é essencial desenvolver uma boa convivência para garantir um ambiente saudável e propício ao processo de aprendizagem.

Assim, quando mais convidativo for o espaço, mais fácil será a comunicação com o aluno, que se sentirá seguro para arriscar, questionar e expressar suas emoções nas aulas e atividades propostas pelo docente.

Planeje as aulas

Para trabalhar as competências socioemocionais, o currículo escolar deve ser adequado para que tais habilidades estejam presentes em todas as disciplinas, e não apenas em práticas isoladas. O indicado é que os educadores insiram atividades focadas no autoconhecimento, na empatia e na resolução de conflitos.

Dessa forma, conciliando a parte cognitiva com a emocional, a capacidade de aprendizado é potencializada, auxiliando no desenvolvimento de uma formação integral que colabora para a criação de cidadãos mais conscientes e responsáveis socialmente.

Como vimos, desenvolver as competências socioemocionais nos estudantes traz diversos benefícios para a formação acadêmica e, também, para a trajetória dos futuros profissionais. Mas o recomendado é que a gestão escolar se organize para transformar a prática pedagógica quanto antes, de forma que as ações se tornem mais significativas, inclusivas e democráticas, de acordo com as diretrizes da BNCC.

Gostou do conteúdo? Acredita que tais informações sejam úteis para outras pessoas? Então, aproveite e compartilhe o post nas redes sociais!

Victor Tavares

Diretor de Projetos da Trivium. É apaixonado por tecnologia e educação, com ampla experiência em desenvolvimento de projetos de adoção de tecnologias educacionais. Reconhecido por ser Microsoft Certified Educator, Microsoft Office Specialist e Microsoft Innovative Educator.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.