A gestão educacional sempre foi um grande desafio. Encontrar métodos pedagógicos que sejam eficientes e que consigam acompanhar as transformações do mundo muitas vezes é algo bastante difícil. Contudo, existem bons exemplos de técnicas modernas que permitem às instituições de ensino e aos professores lidar com esses desafios. Um desses exemplos é a aprendizagem baseada em projetos (ABP), ou project based learning (PBL).

Esse método tem funcionado para integrar e trabalhar conteúdos curriculares por meio de uma metodologia ativa, rompendo com modelos tradicionais e estimulando os estudantes a desenvolverem habilidades e a paixão por aprender. Reconhecendo a importância cada vez maior de uma educação inovadora, elaboramos o texto a seguir para explicar melhor de que forma esse modelo educacional tem revolucionado o ensino. Acompanhe!

O que é?

De maneira geral, a aprendizagem baseada em projetos é uma metodologia de ensino que promove o envolvimento dos estudantes em tarefas e desafios com o objetivo de elaborar um projeto ou um produto que solucione determinado problema. Dessa forma, diversos conhecimentos tomam parte no processo, estimulando competências como trabalho em equipe, criatividade e pensamento crítico.

A partir de uma situação desafiadora, os estudantes passam a trabalhar em conjunto com o objetivo de desenvolver uma possível solução. Essa prática tem mostrado grande envolvimento dos estudantes e eficiência nas instituições de ensino em que tem sido aplicada, cativando os alunos e gerando maior participação no processo de aprendizagem.

Como surgiu?

A proposta de elaborar projetos como recurso pedagógico data do final do século XIX, a partir das ideias elaboradas por John Dewey, em 1897. Contudo, somente em 1998, com Fernando Hernández, foi apresentado um currículo organizado com base em projetos como alternativa à fragmentação do currículo escolar.

A proposta de Hernández tinha a intenção de estimular a investigação e a integração de disciplinas em temas comuns. Por meio desses projetos, foi percebida a possibilidade de conexão entre conteúdos e áreas que, embora pudessem ser correlacionadas, eram trabalhadas isoladamente.

Como implementar essa metodologia?

Visto que essa metodologia rompe com os parâmetros tradicionais, o primeiro passo para colocá-la em prática é trabalhar uma mudança de mentalidade nos próprios professores, que em geral estão adaptados ao modelo convencional de ensino. Isso pode ser feito por meio de treinamentos que busquem instrumentalizar os profissionais para essa nova prática.

Após essa etapa, é importante criar e planejar projetos que tragam um problema a ser resolvido pelos estudantes e que a solução não possa ser encontrada com uma simples pesquisa no Google. A tecnologia é uma grande aliada do aprendizado, mas ela deve servir como ferramenta, aliada à criatividade e ao raciocínio. Por isso, é importante organizar momentos para discussão em sala de aula, a fim de que as propostas sejam debatidas e aprimoradas.

Outro ponto importante é elaborar um cronograma com atividades a serem desenvolvidas dentro de determinados prazos. Assim, será possível notar se o planejamento está sendo cumprido ou se é necessário fazer adaptações. Além disso, é importante analisar de que forma as soluções serão apresentadas e como serão avaliadas. Esses aspectos devem variar de acordo com cada solução. Um produto audiovisual, por exemplo, deve ser avaliado de forma diferente de uma pesquisa com a comunidade, visto que exigem habilidades distintas, embora possam ser convergentes.

A aprendizagem baseada em projetos é uma metodologia de ensino que tem superado os modelos tradicionais, mostrando grande eficiência no desenvolvimento de habilidades cada vez mais importantes para a sociedade moderna. Como você pôde notar ao longo do texto, essa é uma proposta relativamente antiga e que é possível de ser aplicada, desde que exista planejamento e disposição por parte da instituição e dos educadores.

Você conhecia essas informações sobre a ABP? Quer saber mais sobre o que há de novo no mundo da educação? Então, siga nossas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram e LinkedIn.