Desenvolver uma educação inclusiva é adotar uma medida com o objetivo de trazer alunos especiais às escolas tradicionais. Nesse sentido, é função da escola adaptar o espaço aos estudantes que contam com qualquer tipo de atendimento específico, por exemplo, uma sala de aula inclusiva, com o propósito de auxiliar no desenvolvimento total deles.

Sendo assim, é essencial entender o cenário de desafios que tal proposta educacional tem encarado e criar, junto aos colabores da escola, algumas rotinas inclusivas que solucionem problemas e conquistem uma educação realmente inclusiva.  

Acompanhe a leitura deste post e entenda a importância de adotar esse conceito no ensino, os seus desafios e como criar uma sala de aula mais inclusiva!

Qual é a importância de implementar a educação inclusiva?

É possível dizer que a educação inclusiva é totalmente voltada para a cidadania global, inteira e liberta de preconceitos, pois o fato de valorizar as diferenças é a chave para o sucesso desse conceito.

Nesse contexto, a inclusão visa a inserção escolar completa, radical e sistemática, já que todos os estudantes devem cursar o ensino regular. No ensino inclusivo, todos os alunos fazem parte da escola na totalidade, visando a mudança de paradigma educacional.

Ainda, as escolas inclusivas acolhem as diferenças sem discriminar, dividir os alunos ou determinar normas específicas para se planejar, aprender e avaliar.

Quais os desafios encontrados na educação inclusiva?

Ao adotar a inclusão na educação, escolas e professores se deparam com alguns desafios. A seguir, destacamos alguns dos principais.

Reestruturação

Na reestruturação, ocorre o banimento das barreiras físicas e pedagógicas, com propostas curriculares diferenciadas, abertas e flexíveis. 

Para isso, é necessário entender as possibilidades de tecnologias assistivas, ou seja, como recursos, metodologias, produtos, estratégias, práticas e serviços facilitam a participação de pessoas com incapacidades, deficiência ou mobilidade reduzida e proporcionam independência, autonomia, inclusão social e qualidade de vida.

Ampliar a formação dos professores

Para desenvolver a inclusão, é fundamental garantir os direitos do aluno e os deveres do Estado e da escola, determinando uma meta a ser alcançada, tanto para a entidade quanto para o professor

Nesse caso, todos têm que entender a importância da diversidade, saber que é possível sim incluir, além de quando, com que, onde, com quem e como isso ajudará os alunos.

Gerar uma rede de apoio

Entre docentes, famílias, alunos, gestores escolares e profissionais especializados — psicopedagogos, médicos, fonoaudiólogos, fisioterapeutas, psicólogos etc. —, todos precisam se envolver no processo, trabalhando em equipe para oferecer ao aluno uma melhor vivência escolar.

Como criar uma sala de aula mais inclusiva?

Teoricamente, o ensino inclusivo funciona perfeitamente, mas, na prática, encontra alguns desafios para ter sucesso. Confira algumas condutas inclusivas para ajudar a vencer os desafios e contribuir para que os alunos possam se desenvolver.

Adote a inclusão diariamente na escola

A educação inclusiva deve estar no cotidiano escolar. Para tanto, é preciso que a comunidade toda esteja empenhada em conquistar e implantar a inclusão escolar.

Assim, a comunicação é essencial, com coordenadores, diretores, estudantes, professores comparecendo em reuniões sobre o tema e entendendo sobre as suas funções nessa lógica educacional. 

Respeite os variados ritmos de aprendizado

O professor é o mediador da prática de inclusão na sala de aula, ou seja, é o profissional que deverá guiar e orientar os alunos, sejam eles especiais ou não, pelo caminho da aprendizagem. 

Mas para isso ser conquistado, os educadores devem respeitar os diferentes tempos de aprendizagem, com muita calma, técnicas pedagógicas e grande cautela ao ensinar algo que determinados alunos não conseguirão entender em uma primeira explicação.

Nesse caso, o educador precisa transmitir ao estudante toda a segurança necessária para que ele se sinta apto a resolver qualquer desafio.

Capacite coordenadores e educadores

É função da escola oferecer a capacitação profissional neste ramo e, para isso, existem redes de apoio acessíveis. Além delas, a instituição de ensino deve também levar à escola educadores experientes em educação inclusiva para palestrar aos colaboradores e alunos. 

Tenha foco nas competências dos alunos

O professor que se propõe a oferecer um ensino inclusivo deve evidenciar as habilidades dos alunos com necessidades especiais, e não as suas dificuldades

Portanto, é importante que os educadores conheçam individualmente cada aluno de sua turma, para que, assim, identifiquem suas competências para desenvolvê-las com cuidado e atenção.

Invista em formação continuada

A escola que oferece uma educação inclusiva deve garantir capacitação profissional aos funcionários. Mas o educador também deve buscar a capacitação de maneira autônoma.

A educação inclusiva é uma área da educação que ainda sofre com a falta de especialistas. Portanto, ao procurar por uma formação continuada nesse segmento, oportunidades profissionais surgirão. 

Aposte em ferramentas tecnológicas

A Microsoft conta com algumas ferramentas essenciais para uma boa aplicação da inclusão em sala de aula. Conheça algumas a seguir.

OneNote

Permite que cada aluno tenha um espaço de trabalho pessoal, uma biblioteca de conteúdo e também um local de colaboração.

Dictate

É integrado ao Office 365 e Windows 10, permitindo aos usuários usar o ditado nessas ferramentas.

Immersive Reader

Ferramenta gratuita que tem o objetivo de melhorar a escrita e a leitura dos alunos, independentemente da habilidade ou idade.

Math solver

Possibilita resolver problemas, obter definições para conceitos matemáticos e fazer gráficos de equações para ver sua função e aprender a relação entre as variáveis. A ferramenta funciona em hindu, alemão, espanhol e muito mais.

Read Aloud

Une o texto a alunos com deficiências visuais e auxilia na prática da pronúncia. Fornecer entradas de áudio e visuais, garante aos os alunos, especialmente os que têm dislexia, as práticas multissensoriais essenciais para introduzir essa palavra em seu vocabulário. 

Minecraft: Education Edition

Conta com inúmeros recursos que suportam o ensino inclusivo, desde o multiplayer em sala de aula para uma colaboração mais efetiva, até configurações personalizáveis do jogo, contando com uma interface de usuário de texto para fala.

Ainda, oferece aos alunos com deficiências intelectuais e físicas a chance de serem criativos, explorarem sem medo de errar e desenvolverem autonomia na sala de aula.

E você, tem interesse em inserir uma sala de aula inclusiva para elevar a educação na sua escola?

Conte com a Trivium nesse processo, pois temos os maiores diferenciais no desenvolvimento de projetos de consultoria em implantação das soluções de Cloud Computing da Microsoft, com foco em instituições de ensino de pequeno, médio e grande porte.