A tecnologia na sala de aula vem permeando desde o ensino primário até o superior. Em uma sala de aula moderna, os professores atuam como facilitadores, incentivando os estudantes em seus esforços colaborativos e em suas pesquisas individuais. E com o uso da tecnologia, como e-mail e mídias sociais, os educadores podem fornecer o conteúdo — aulas, vídeos e palestras — para os alunos de forma mais colaborativa.

Assim, a escola e a sala de aula acompanham a mudança comportamental e a realidade na qual os alunos estão inseridos. Afinal de contas, algumas iniciativas que transformaram o ensino, como a sala de aula invertida, se tornaram possíveis apenas utilizando a tecnologia.

Tudo isso confere ao aluno uma autonomia maior, além de o colocar como protagonista no processo de aprendizagem. Quer saber mais sobre o assunto? Acompanhe este post!

1. A aula é mais dinâmica

Por estarem acostumados com a utilização de tecnologia, os estudantes não se sentem muito estimulados com aulas somente expositivas. É cada vez mais difícil atrair a atenção dos alunos e engajá-los em uma reflexão e discussão sobre os diversos conteúdos ensinados. Com isso, a tecnologia na educação trouxe algumas soluções, como a sala de aula invertida e o ensino híbrido.

A sala de aula invertida tem por objetivo o foco na participação do estudante. O aluno estuda o conteúdo previamente e, após isso, os temas estudados são aprofundados em sala com o professor. O docente atua como um supervisor daquilo que os alunos estudaram e pode promover o debate e tirar dúvidas.

Já o ensino híbrido mescla aulas que são presenciais e os principais elementos da aprendizagem online, alternando os conteúdos que se complementam. Além disso, caracteriza-se também por intercalar estudos em grupo e individuais, combinando leitura e exercício, pesquisa de campo, orientação e debates.

2. O interesse dos alunos é maior

Os estudantes de hoje conseguem aprender com muita rapidez e facilidade, entretanto se cansam facilmente de práticas repetitivas do ensino comum. Eles anseiam e estão sempre atentos por novidades, e por isso que o uso da tecnologia desperta o seu interesse.

E é natural que a tecnologia na escola chame a atenção dos alunos — ela permite criar multimídias, exercícios em planilhas eletrônicas, fazer edição de imagens, entre outros. Essas atividades, por sua vez, promovem a participação dos estudantes no modo de construção do próprio conhecimento.

Caso o professor não tenha muita habilidade com inovações, ele pode pedir a ajuda de um aluno, que provavelmente se sentirá importante em cumprir a tarefa.

Por fim, o uso da tecnologia também garante acessibilidade ao ensino, contribuindo para que as barreiras sejam superadas por pessoas que apresentam necessidades especiais. Nesse sentido, a tecnologia bem empregada passa a ser uma grande facilitadora no acesso à informação e à educação.

3. O compartilhamento de dados é facilitado

Ao inserir as diversas tecnologias em sala de aula, há um incentivo entre os alunos a compartilharem as informações e qualquer notícia ou dado que apresente relação com o conteúdo estudado.

Um exemplo disso são as redes sociais, que são ótimas ferramentas de comunicação. Elas podem ser empregadas para o desenvolvimento de atividades de vários conteúdos curriculares e de diferentes maneiras, como:

  • criação de grupos de discussões e compartilhamento de dados complementares aos vistos em sala de aula;
  • criação de palavras-chave que tem por objetivo estimular os estudantes a compartilharem diariamente os conhecimentos aprendidos em aula;
  • ensinar os alunos a reconhecer e localizar vídeos que apresentem conteúdos relevantes em suas buscas pela Internet.

4. Os professores visualizam melhor as dificuldades dos alunos

O conhecimento da turma é um passo muito importante no trabalho de um professor, já que conduz para um entendimento mais fácil a respeito de como e quando intervir na metodologia de aprendizagem da classe.

E nesse contexto, o uso da tecnologia tem uma grande contribuição no ensino, já que muitos aplicativos têm diagnósticos de aprendizagem, em que mostram de maneira coletiva ou individual, quais pontos da matéria os estudantes apresentam uma maior quantidade de acertos e em quais precisam estudar mais.

Desse modo, fica mais fácil saber quando é necessário ir mais rápido com certos conteúdos, dobrar as explicações, mudar a técnica de ensino, identificar os alunos que possuem melhor desempenho e incentivar os estudantes que têm mais dificuldades.

5. O nivelamento da classe pode se tornar mais simples

Muitos mecanismos tecnológicos são voltados para a sala de aula e, por isso, são capacitados para demonstrar o desempenho dos alunos. Assim, é certo afirmar que isso também auxilia a vida do educador que trabalha para que haja um nivelamento entre os diversos ritmos de aprendizagem em uma sala.

Ao ajudar o educador a evitar determinadas dificuldades, como motivar os alunos dispersos, a tecnologia faz com que se torne mais fácil a tarefa de conduzir as aulas de modo uniforme. Desse modo, o período de aula passa a ser mais proveitoso e as semanas rendem mais. Além disso, todos se sentem pertencentes e envolvidos na realidade que a tecnologia criou mediante suas ferramentas.

6. A discussão dos temas das aulas é algo possível

O uso de celulares com acesso à Internet nas escolas pode ser utilizado a favor da educação. A criação de discussões para o debate de temas tratados em sala de aula incentiva a troca de informações, fornece um melhor aprendizado e permite a interação entre os envolvidos.

Os alunos que apresentam a possibilidade de ensinar estudantes mais novos, por exemplo, acabam por intensificar ainda mais o próprio conhecimento com a troca de informações. Os dispositivos que têm acesso à rede proporcionam um debate mais rico, pois as informações passadas pelos docentes são facilmente reconhecidas pelos alunos.

Se você é professor ou trabalha com educação, é preciso ficar atento sobre a tecnologia na sala de aula. Esse modelo de ensino vem redefinindo o conceito de aprendizagem e faz com que o professor se aproxime ainda mais do aluno.

Além disso, a tecnologia pode ser uma boa aliada para os estudantes, já que o modelo usual muitas vezes é ineficaz ou insuficiente para proporcionar uma completa experiência.

Gostou do nosso post? Quer saber mais e ficar por dentro das novidades? Então assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em seu e-mail!