Embora pareça algo simples, o quadro de horário escolar é uma importante ferramenta de organização da rotina acadêmica. Todas as aulas e eventos, com os seus respectivos responsáveis, são descritos nesse plano e os envolvidos são conduzidos por ele.

Como o seu processo de criação não é algo fácil de ser feito, trouxemos algumas dicas que precisam ser consideradas para tal empreendimento. Boa leitura!

Entenda a importância do quadro de horário escolar

Feito de maneira eficaz, sem conflitos entre as ações desenvolvidas, todos se beneficiam da harmonia proporcionada por ele. Com ele, professores, alunos e gestores sabem o que fazer, onde fazer e quando fazer as suas ações na escola.

O primeiro passo para a construção do quadro é observar dois pontos fundamentais: o currículo adotado e o projeto político pedagógico (PPP) da instituição.

O currículo é o primeiro aspecto a ser considerado, porque é preciso pensar nas necessidades educacionais dos alunos de acordo com o nível acadêmico. Logo, serão separados os tempos necessários para a ministração das disciplinas, considerando-se as que precisam receber um foco maior.

Em relação ao PPP, é preciso lembrar que, enquanto ele ainda está em vigor, todas as práticas estudantis são orientadas por ele. Assim, feiras pedagógicas, atividades extracurriculares e projetos acadêmicos devem ser planejadas para construção de um quadro eficiente.

Considere os principais fatores do planejamento

Mapeado o que precisa ser feito de acordo com os objetivos pedagógicos da escola, alguns fatores devem ser considerados. Vejamos!

Disponibilidade dos professores

Assim como os estudantes, os educadores são protagonistas no processo educacional. Afinal, serão eles que atuarão diretamente na administração dos saberes e promoverão a avaliação de aprendizagem.

Nesse sentido, faça um levantamento dos horários disponíveis que cada docente tem para a escola. É preciso lembrar que muitos trabalham em mais de um colégio ou unidades da instituição.

Também é necessário considerar os intervalos de deslocamento, a fim de evitar atrasos que poderiam ser resolvidos com um bom delineamento. Mesmo nos casos de dedicação exclusiva, é necessário ponderar os períodos em que o professor se dedica para o planejamento das aulas e preenchimento dos diários de classe e outros formulários.

Níveis educacionais e intensidade das aulas

A disposição das aulas é calculada de acordo com os níveis educacionais. Nos anos iniciais da educação básica, por exemplo, são poucas as disciplinas e, consequentemente, a troca de professores, se compararmos aos anos finais e ao ensino médio.

Por isso, a ordem das disciplinas deve respeitar os tempos necessários para cada matéria e o ajustamento entre elas, a fim de evitar momentos ociosos tanto para professores quanto para alunos.

Espaços do colégio

Salas de aula, auditórios, quadras e laboratórios também entram nesse plano. Afinal, cada dinâmica escolar necessita de um espaço específico para ser realizada e, por isso, deve-se evitar os conflitos entre as turmas na utilização desses espaços.

Assim, na horar de fazer os devidos arranjos, considere os momentos em que uma turma vai usar determinado ambiente, por causa da aula ou atividade que precisa desempenhar. Isso faz com que os horários não fiquem sobrepostos.

Converse com os envolvidos

Para que tudo aconteça corretamente, todos precisam concordar com as definições. Nesse caso, o principal instrumento a ser utilizado é o diálogo.

Fale com professores e demais gestores, além de representações estudantis se for necessário, para saber se todos concordam com o modelo que foi planejado. Afinal, a grade horária precisa beneficiar todos.

Seguindo esses passos e com tempo hábil, é possível desenvolver um quadro de horário escolar que atenda às demandas da instituição. Além disso, se torna um forte auxílio no processo de ensino-aprendizagem.

Conhece outras dicas que facilitam a construção do quadro de horário escolar? Então, compartilhe o seu conhecimento conosco nos comentários!