O movimento maker na educação é fundamental para o desenvolvimento de competências e habilidades nos alunos. Nessa estratégia, os estudantes ganham espaço para desenvolver a criatividade e a capacidade de colaboração.

A transformação do método tradicional de ensino permite que os estudantes tenham protagonismo no processo de aprendizagem, o que traz benefícios relevantes para a formação. Neste artigo, traremos 5 exemplos de como incentivar o movimento maker em sala de aula. Acompanhe a leitura!

Conheça 5 maneiras de incentivar o movimento maker em sala de aula

Para facilita a adoção dessa estratégia em sua instituição de ensino, traremos algumas dicas relevantes. Confira nossas sugestões!

1. Crie um espaço maker

Uma das melhores maneiras de incentivar essa estratégia é por meio da criação de um espaço maker. Ele pode ser um laboratório montado especialmente para isso ou uma sala de aula adaptada. O ambiente deve oferecer materiais variados, como papéis coloridos, retalhos de tecidos, balões, colas, madeira, tintas, ferramentas, entre outros elementos.

2. Promova o intercâmbio entre makers

Outro incentivo interessante é a promoção de desafios, workshops e intercâmbios entre comunidades makers. Esse contato pode ser presencial ou virtual, pois o interessante é que os alunos conheçam outros projetos e compartilhem seus protótipos, descrevendo o que aprenderam no desenvolvimento do projeto e trocando experiências.

3. Ofereça as ferramentas certas

As ferramentas certas também contribuem para o sucesso dessa abordagem. Impressoras 3D, filmadoras, instrumentos e computadores incentivarão os alunos a mexer e aprender como eles funcionam. Porém, a falta de materiais mais caros não é empecilho para que não haja aprendizado, basta utilizar a criatividade e aproveitar objetos recicláveis para promover essa metodologia.

4. Envolva os professores nessa cultura

Além dos estudantes, os professores também precisam estar inseridos na cultura maker. Por isso, é essencial capacitá-los para que saibam utilizar os recursos e as ferramentas que essa estratégia oferece. A mudança não é apenas estrutural, pois também envolve a transformação do papel do docente, que se torna um facilitador do aprendizado.

5. Tenha parceiros para a transformação digital

Os parceiros também são relevantes para promover a transformação digital na sua instituição. Eles podem fornecer os recursos tecnológicos necessários para que os estudantes se desenvolvam de forma participativa. Além disso, eles oferecem o suporte para a boa utilização dessas ferramentas e facilitam o processo de aprendizagem ativa.

Confira como o Office 365 Education pode contribuir

O uso do Office 365 Education pode contribuir para incentivar o movimento maker na sua instituição. Os alunos podem produzir e editar documentos simultaneamente nos aplicativos Word, Excel e PowerPoint. Desse modo, alguns benefícios são notados, como:

  • aumento da participação dos alunos;
  • promoção da colaboração e autonomia na aprendizagem;
  • desenvolvimento das competências digitais dos professores.

Neste artigo, mostramos algumas formas de incentivar o movimento maker na educação. Essa é uma estratégia importante para o desenvolvimento completo dos estudantes e facilita o processo de aprendizagem.

A Trivium é uma empresa que desenvolve projetos de consultoria para transformação digital das instituições de ensino com transparência e segurança, oferecendo uma boa oportunidade de crescimento nessa área.

Gostou do nosso artigo? Então, entre em contato conosco e entenda como a Trivium pode contribuir para esse processo!