fbpx

Geração Z – Características para se trabalhar na educação

Geração Z – Características para se trabalhar na educação

A Geração Z costuma ser chamada também de nativos pós-milenares e digitais, e fazem parte desse grupo pessoas nascidas no fim da década de 1990. 

O fato é que, a cada nova geração de alunos que surge, é preciso adotar diferentes estratégias de ensino e aprendizagem, sendo importante refletir sobre as atuais práticas de ensino e entender o que está ou não funcionando, para criar o melhor ambiente de aprendizagem para os estudantes.

Acompanhe a leitura a seguir e entenda um pouco mais sobre essa nova geração e as principais características que devem ser consideradas no ambiente educacional!

Compreendendo os alunos da Geração Z

Primeiramente, é importante entender quem são os alunos e quais desafios apresentam. 

O que funcionava no passado, provavelmente não funcionará agora. Para alcançar os atuais alunos da Geração Z, é necessário mergulhar em quem eles são e suas necessidades.

Os estudantes da atualidade nasceram em uma época em que a palavra impressa se transformou em formato eletrônico. Os livros deram lugar a vídeos do YouTube e a escrita vem sendo substituída por ícones e imagens.

A educação está mudando de salas de aula estruturadas para meios colaborativos, de livros didáticos a tablets e de relatórios a infográficos e apresentações de vídeo. 

Principais características da Geração Z

Enquanto as escolas estruturam a aprendizagem por assunto, os estudantes da Geração Z vivem em um mundo com hiperlinks. Abaixo identificamos alguns fatores importantes que devem ser considerados ao planejar e criar instruções para os alunos da atualidade.

Nativos digitais

Os alunos da Geração Z nasceram na tecnologia, o que significa que têm pouca ou nenhuma memória do mundo como ele existia antes dos smartphones. 

É fundamental entender a relação deles com as ferramentas tecnológicas. Embora não sejam estranhos ao universo digital, existem equívocos sobre chamá-los de “conhecedores da tecnologia”.

Não é sensato presumir que, por serem expostos à tecnologia desde o nascimento, eles sabem como usá-la com eficiência.

A maioria dos adolescentes da Geração Z têm um smartphone. Mas, como grande parte do aprendizado em sala de aula não depende de dispositivos móveis e, em vez disso, usa computadores, nossa percepção de conhecimento para fins educacionais não é precisa. 

É possível observar que a digitação dos alunos no computador é dolorosamente lenta, se compararmos com a digitação no celular. Sendo assim, ao introduzir novas tecnologias de computador para fins didáticos, é importante dedicar tempo para ensinar corretamente como usar a plataforma.

Os alunos podem usar isso como um ponto de partida para surpreender com suas habilidades tecnológicas.

Geração empoderada e sem rótulos

Esse grupo acredita que a diversidade é boa para a sociedade e está mais disposto a ficar ao lado de pessoas que são contra a desigualdade. 

Além disso, muitos participantes da Geração Z conhecem alguém que prefere pronomes neutros em relação ao gênero, favorecendo a inclusão para aqueles que não se identificam como homens ou mulheres.

Ansiedade e depressão

Não é nenhuma surpresa que o aumento na exposição às redes sociais e cyberbullying esteja relacionado a taxas mais altas de suicídio e depressão também. Dessa forma, é fundamental investir no aprendizado social e emocional, para que os alunos possam encontrar maneiras de regular suas emoções e lidar com as dificuldades que enfrentam. 

Dispersão do que não considera ser importante

Se o conteúdo que está sendo ensinado não for considerado importante pelos alunos da Geração Z, eles poderão se dispersar. Os estudantes podem se tornar resistentes em aprender, se não souberem a importância dos métodos de ensino e aprendizagem 

Esse grupo tem períodos de atenção mais curtos e, para conseguir prender a atenção dos alunos, a seguir estão algumas dicas a serem consideradas:

  • utilize recursos visuais;
  • mantenha as apresentações de slides curtas;
  • proporcione variedade;
  • considere mudar sua sala de aula para o aprendizado individualizado;
  • crie um ambiente de aprendizagem ativo;
  • incorpore habilidades sociais quando puder;
  • mantenha as instruções de vídeo em menos de seis minutos;

Geração imediatista

Devido à gratificação instantânea que as redes sociais e o acesso à internet oferecem, os alunos não têm paciência para esperar. É por isso que, quando os alunos entregam uma tarefa, eles nem sempre conseguem racionalizar porque o professor não a avaliou imediatamente.

A geração Z não conhece um mundo sem conectividade, o que possibilita desenvolver a autonomia pessoal e obter informações sem empecilhos físicos e temporais.

Gostou do conteúdo e conseguiu entender os desafios de ensinar para a Geração Z? Então, compartilhe este artigo nas suas redes sociais!

Victor Tavares

Diretor de Projetos da Trivium. É apaixonado por tecnologia e educação, com ampla experiência em desenvolvimento de projetos de adoção de tecnologias educacionais. Reconhecido por ser Microsoft Certified Educator, Microsoft Office Specialist e Microsoft Innovative Educator.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.