A autogestão na educação é uma solução muito eficiente para o processo didático, considerando as necessidades dos alunos na atualidade. Trata-se de um conceito em que o estudante é gestor do seu próprio processo de aprendizado e o professor orienta o aluno adotando estratégias que estimulam a produção do conhecimento, desde a parte comportamental até o aprendizado empírico.

No entanto, você sabe como implementar essa solução de didática? Quais são as ferramentas que podem facilitar esse processo de autogestão pedagógica? Confira este post e veja as respostas para esses questionamentos!

O que é a autogestão na educação?

Quando uma escola implementa a autogestão na educação, o mediador do processo de ensino e aprendizagem auxilia o educando a se autoavaliar, além de estabelecer, conhecer e comparar seus objetivos enquanto se esforça para atingi-los.

Nessa solução, o estudante é o seu próprio monitor. Para tanto, ele observa o seu próprio comportamento, o processo de desenvolvimento das duas habilidades, registra seus dados e, dessa maneira, consegue avaliar o seu progresso.

Por isso, é muito importante que o setor pedagógico, composto por supervisores, orientadores ou professores, elabore um planejamento de autogerenciamento eficiente, de forma que o estudante consiga ver a sua evolução de maneira clara.

Como despertar a curiosidade dos alunos?

A tecnologia é uma ferramenta que pode transformar o processo de autogestão e torná-lo mais próximo da realidade do aluno. Veja como!

STEM

A adoção da autogestão educacional como uma solução no processo de aprendizado é facilitada quando usamos diferentes abordagens pedagógicas, uma delas é o STEM.

STEM é a sigla na língua inglesa para Science, Technology, Engineering, Mathematics (Ciência, Tecnologia, Engenharia, Matemática) e esse conceito busca mesclar o conteúdo dessas áreas para engajar alunos em atividades práticas, estimulando a criatividade e o conhecimento intuitivo.

Em um primeiro momento, essa abordagem pedagógica pode transmitir a ideia de que falamos da inserção de programação e robótica, ou seja, de soluções tecnológicas complexas no cotidiano educacional, porém não é bem assim.

Em vias práticas, o STEM atua como oficinas criativas, em que alunos se reúnem para resolver algum desafio de maneira prática, com ferramentas que já estão disponíveis, seja no caderno ou no computador.

Gamificação

Outro princípio pedagógico que auxilia no processo de implementação da autogestão pedagógica é a gamificação. Essa estratégia visa a implementação de estratégias de linguagem de design, lógica e jogos dentro da linguagem pedagógica.

Logo, a intenção é transformar algumas atividades que são tradicionais em sala de aula, por exemplo, a avaliação classificatória, que costuma ser pontuada por números, pode ser examinada por meio de estrelinhas. Dessa maneira, você estará usando elementos lúdicos que facilitam a interação e, ao mesmo tempo, tornando a avaliação mais interessante e visualmente mais atrativa.

Os impactos dessa ferramenta são inúmeros, mas uma das principais vantagens é o caráter comportamental, pois quando criamos uma linguagem próxima ao universo do aluno estamos gerando um vínculo que estimulará o seu comprometimento com o processo educativo.

O que saber sobre tecnologia e a autogestão educacional?

Saber usar os recursos tecnológicos a nosso favor é uma solução inteligente, principalmente na área educacional. Quando nos propomos a uma didática pautada em recursos criativos, estimulantes, que conversam com o universo tecnológico no qual o aluno já nasce inserido, estamos adotando um agente facilitador para a mediação do conhecimento e colocando ao seu dispor maneiras de promover uma autogestão efetiva por parte do aluno, com segurança, conectividade, acessibilidade e infraestrutura.

O importante é entender que, quando o aluno assume o papel de gestor do seu processo educacional, ele tem meios intuitivos, inteligentes e seguros para cuidar do seu processo de ensino-aprendizagem.

Construir um espaço em que o aluno se sente pertencente e protagonista da sua própria vida é tendência para a sala de aula do futuro, uma vez que a autogestão na educação é uma habilidade socioemocional que será usada tanto em seu percurso como educando quanto em todo o seu futuro pessoal e profissional!

Gostou de saber sobre a influência da tecnologia na autogestão educacional? Quer entender mais sobre estratégias pedagógicas? Conheça dicas de inovadores projetos escolares para o cotidiano da sala de aula!

Estamos no Facebook, no Instagram e no LinkedIn! Siga-nos para receber mais conteúdos como este.