Com a chegada da pandemia e a necessidade do distanciamento social, o ensino remoto emergencial se tornou uma prioridade para que as escolas pudessem manter seu cronograma educacional.

Hoje, mais de um ano depois do início da pandemia, o método de ensino a distância continua sendo necessário, por isso, os educadores vêm fortalecendo as interações virtuais e ganhando cada vez mais experiência no assunto.

Neste artigo, você pode conferir como o ensino remoto emergencial vem sendo aplicado e quais as suas características mais marcantes. Boa leitura!

Principais aplicações do ensino remoto emergencial

Antes de mais nada, é importante ressaltar que o ensino remoto emergencial (ERE) não é a mesma coisa que ensino a distância (EAD). Embora ambos sejam online, o primeiro nada mais é do que uma adaptação do currículo presencial, enquanto o segundo é projetado especificamente para o ambiente virtual.

Considerando esse ponto, hoje, o grande desafio é fazer com que o ensino remoto se torne atrativo para os alunos que antes só conheciam o ensino presencial. Para isso, é preciso explorar ao máximo os recursos tecnológicos.

Confira, a seguir, a lista que preparamos com as aplicações mais interessantes para serem usadas no ensino remoto emergencial.

Produção de vídeos interativos

Cada vez mais, os educadores estão adentrando ao universo da produção de vídeos, que são bem aceitos pelos alunos em diversas faixas etárias.

Assim, para repensar e inovar no ensino remoto, as escolas vêm criando e editando vídeos interativos, que prendem a atenção dos alunos e vão além de simplesmente gravar uma aula tradicional com o professor em frente a uma lousa.

Assessoria pedagógica online

A mudança brusca na forma como as aulas são ministradas fez com que muitos alunos e professores apresentassem dificuldades em se adaptar.

Dessa forma, para contribuir com o desenvolvimento individual, as escolas podem oferecer assessoria pedagógica online individual, tanto para o reforço de alunos quanto para situar os professores em meio a essa nova realidade, desenvolvendo suas competências digitais.

Diversificação dos materiais digitais

Considerando que cada aluno aprende de uma forma diferente, é importante aproveitar o dinamismo que o ambiente digital oferece para entregar materiais em formatos diversificados. Isso faz com que os alunos tenham maior engajamento com o conteúdo apresentado.

Nesse sentido, além de texto e vídeo, é possível incluir podcasts, infográficos e até abrir salas de debates para discutir vários temas.

Comunicação com os alunos

Muitos alunos acabam se opondo a abrir a câmera nas aulas online e isso dificulta a comunicação com os professores e os próprios colegas. A solução está em criar ambientes descontraídos para comunicação entre a turma, como grupos de mensagens instantâneas e lives em redes sociais.

Como vimos até aqui, o ensino remoto emergencial se diferencia do EAD, mas pode ser aprimorado para que o aluno tenha melhor experiência e, com isso, atinja os níveis desejados em seu desenvolvimento. Ainda, o apoio da gestão escolar é essencial para que a escola encontre maneiras de estimular esses alunos, mesmo sem o contato físico.

Se você gostou do conteúdo e quer transmitir o conhecimento para outros colegas de profissão, que tal compartilhá-lo agora mesmo em suas redes sociais?

Estamos no Facebook, no Instagram e no LinkedIn! Siga-nos para receber mais conteúdos como este.