O isolamento social fez com que muitas empresas adotassem o trabalho em home office e as instituições de ensino providenciassem as aulas a distância, mas como o mundo está começando a sentir os efeitos positivos das medidas de emergência contra a COVID-19, é hora de olhar para o futuro.

O que teremos aprendido com a pandemia quando tudo estiver voltado ao normal? Será que a escola nunca mais será a mesma?

É necessário considerar que esse período prolongado de fechamento forçado levou educadores em todo o mundo a um uso mais amplo da tecnologia, para garantir aos seus alunos a continuidade de seus estudos.

É aí que entra a aprendizagem combinada. Por ser um híbrido de aulas presenciais e ensino a distância, o modelo de ensino é um dos muitos propostos para o futuro da sala de aula assistida por tecnologia.

Veremos a seguir a sua definição e vamos examinar por que a pandemia pode ser o fator-chave que impulsiona este modelo nas escolas em todo o mundo.

O que é o ensino híbrido?

É impossível encontrar uma única definição para a aprendizagem mista, já que existem tantas maneiras de combinar o tempo em sala de aula presencial e aulas on-line quanto os alunos.

No ensino híbrido ocorre a redução da presença física em favor da videoconferência, de modo a criar grupos menores que permitem o distanciamento social adequado.

Mas também podemos dizer que o voltar às aulas presenciais como um modo predominante de ensino é um desafio, pois a tecnologia está apoiando o processo de aprendizagem mais do que nunca.

Os métodos presencial e on-line podem ser combinados em qualquer proporção e cada aluno pode encontrar e escolher a forma de aprender que melhor se adapta ao seu próprio estilo de aprendizagem pessoal, à sua situação familiar e ao nível de acesso à tecnologia.

Se há algo que a mudança repentina e forçada para o ensino à distância mostrou é que nem todas as famílias estão igualmente preparadas para o ensino a distância, ou seja, nem todos os alunos têm um computador e uma conexão de Internet estável em casa.

A divisão digital entre aqueles que podem atender às novas necessidades básicas do mundo contemporâneo e aqueles que não podem é mais ampla do que nunca.

A frequência física ainda é a única opção para alunos que têm famílias com baixa renda e que veem a escola não apenas como um local de aprendizagem, mas também um espaço seguro que fornece supervisão de um adulto enquanto os pais estão trabalhando.

Dada essa dupla situação, o ensino misto personalizado que leva esses fatores em consideração é, na verdade, o método ideal para uma sociedade no pós-pandemia.

Como será a sala de aula do futuro?

É importante notar que, com o desenvolvimento do sistema híbrido de ensino, o conteúdo da educação muda tanto quanto o modo de comunicação por meio do qual é transmitido.

Com dispositivos móveis que permitem, literalmente, que o aluno carregue a sala de aula no bolso, e a vastidão da Internet como uma alternativa aos livros didáticos, a aprendizagem combinada ensina aos alunos três lições principais:

  • é impossível memorizar todo o conhecimento humano disponível, então a educação não é mais decorar fatos e responder a perguntas de testes, mas aplicar o conhecimento a situações cotidianas reais e saber onde encontrar informações confiáveis;
  • o professor pode não ter todas as respostas — em um ambiente de aprendizagem mista, eles estão lá para fornecer orientação e apoio, agir como moderadores de discussão, dar direção e feedback aos projetos dos alunos, mas não são mais a única fonte de conhecimento;
  • a escola não é o único lugar para aprender e o estudante não vai parar de aprender depois que se formar — educar-se é um processo contínuo que o segue por toda a vida.

É por isso que o ensino híbrido é a maneira ideal de preparar os alunos para um mundo em que o conhecimento não é um conjunto de fatos isolados divididos em assuntos independentes.

A aprendizagem é um todo interconectado em constante crescimento, atualização automática e que requer um alto grau de independência, flexibilidade e vontade de aprender muito além da escola.

Gostou do conteúdo e quer transmitir o conhecimento para outros colegas de profissão, que tal compartilhá-lo agora mesmo em suas redes sociais?

Estamos no Facebook, no Instagram e no LinkedIn! Siga-nos para receber mais conteúdos como este.