A tecnologia tem ajudado cada vez mais pessoas sedentas por arte e educação, principalmente em um momento delicado como a pandemia, que exige distanciamento e fechamento de espaços públicos. A partir desse conflito, o MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo – decidiu inovar e levou para o mundo virtual um passeio brilhante para aqueles que anseiam por aprender.

Em parceria com a Microsoft e a Agência Africa, o museu conseguiu através da plataforma Minecraft: Education Edition, e no site do próprio MAM, a proeza de criar uma visita virtual e completamente interativa à história da arte brasileira moderna.

O novo jogo tem como objetivo fazer as pessoas visitarem o ambiente do museu, além de permitir a recriação de algumas de suas obras mais famosas, tudo com a ajuda de um dos jogos mais conhecidos do mundo atualmente, que é o Minecraft.

Através de uma espécie de Lego virtual, o jogo possibilita o acesso à cultura e a aulas com recortes temáticos sobretudo o que MAM representa para o país. Segundo Vera Cabral, diretora de Educação da Microsoft Brasil, a maior importância do lançamento desse projeto é fazer alunos de todos os lugares terem um acesso mais próximo ao acervo do museu.

O MAM no Minecraft também recebeu um apoio indispensável nessa experiência. O ator Lázaro Ramos emprestou a sua voz para a narração de um filme de introdução dentro do jogo, exibido na estreia do game. Tudo isso foi elaborado pela Agência Africa, sob a direção de Rog Souza, da produtora Tropical, que é parceira da plataforma educativa do Minecraft.

Além da facilidade que alunos terão de circular pelas áreas do MAM de suas próprias casas, passando pela sede e pelo Jardim de Esculturas, a plataforma também oferece um espaço para adultos e professores, que podem demarcar espaços e limites onde os blocos poderão ser construídos. Existe também uma lousa virtual que poderá ser usada para acrescentar informações sobre as obras de arte.

Cauê Alves, curador-chefe do MAM – Museu de Arte Moderna de São Paulo, afirmou em comunicado à imprensa que a arte tem papel fundamental na formação de uma sociedade e da educação. Isso não ficou limitado a essa aventura pela internet. Pontos de ônibus e projeções em prédios também expuseram imagens das obras do museu nos últimos meses, através da ação #MAMnaCidade.

A pandemia, claro, também motivou a criação de um espaço importante para a interação entre o público e a educação, justamente pelas limitações de contato e de deslocamento causadas pelo distanciamento social.

“Nunca estivemos tão digitais e isolados, é a materialização do que é ser de mais atual, contemporâneo e moderno”, avaliou Sergio Gordilho, Copresidente e CCO da Africa e conselheiro do MAM, sobre a criação do projeto.

Quais serão as principais atividade?

Em uma primeira fase, a exposição virtual seguirá modelos geométricos usuais do Minecraft, para que a ideia não seja tirada de foco. A intenção é fazer com que os usuários relembrem o movimento de 1952, que provocou uma ruptura na forma de criar obras de arte no Brasil.

O ‘Manifesto Ruptura’ foi responsável por mudar completamente a maneira de dialogar através de pinturas e esculturas, e isso será levado diretamente para o MAM no Minecraft. Um exemplo é uma atividade proposta na plataforma, que pede aos alunos uma recriação da escultura “Aranha” (1981), de Emanoel Araújo, mas, desta vez, com outro inseto.

Outras atividades inspiradas em obras do movimento moderno estão relacionadas à recriação de estampas e a representação dos 31 dias de um mês em um cubo. Tudo de forma lúdica e que exercite a imaginação.

Qual é a intenção do projeto?

Cauê Alves avalia a experiência como uma forma de apresentar arte e incentivar sempre a visita a esses espaços, independentemente da faixa etária. Crianças, adultos e idosos podem aproveitar as áreas comuns, seja visitando o museu, usando a versão virtual e acompanhando as projeções em ruas e prédios da cidade.

Confira esse artigo que nós separamos para você. Será que é possível usar o Minecraft na sala de aula? Descubra aqui!