Devido ao distanciamento social necessário, resultado do elevado contágio pelo Coronavírus, as escolas precisaram se adaptar para oferecer aos alunos aulas de forma online. Neste cenário, o Ministério da Educação (MEC) elaborou algumas diretrizes a serem seguidas por elas, desde o ensino médio até a educação infantil na pandemia.

Essas recomendações têm o objetivo de contribuir com o desenvolvimento das crianças, ainda que não seja possível realizar essa missão de forma presencial. Buscando oferecer as melhores experiências aos pequenos, muitas escolas têm procurado se inteirar sobre o assunto e descobrir novas possibilidades de ensino.

Se este é o seu caso, este post foi pensado especialmente para você. Nele, mostraremos quais são as recomendações do MEC e daremos algumas dicas de atividades onlines que os professores podem fazer. Para descobrir essas informações é só continuar a leitura.

Recomendações do MEC para aulas da Educação Infantil na Pandemia

O MEC orientou as instituições de ensino sobre como deveria ser as aulas remotas durante a pandemia, visando amenizar a difícil situação vivida por todos, e oferecendo às crianças boas experiências.

Para a educação infantil, o Ministério sugeriu que as escolas tentem uma aproximação online entre os familiares e responsáveis das crianças e os professores. Essa ação tem o objetivo de manter um bom vínculo e fazer com que os pais possam ajudar, afinal, eles são os responsáveis pelos pequenos do outro lado da tela.

O MEC ainda orientou que as escolas e os professores priorizem atividades que sejam lúdicas. O intuito é fazer com que as crianças realmente se envolvam com o que for proposto e consigam aprender e desenvolver habilidades, mesmo a distância.

Dicas para realizar atividades online com a Educação Infantil

Agora que você já conheceu as recomendações do MEC para as aulas remotas da educação infantil na pandemia, confira a seguir duas dicas para acertar na escolha das atividades.

Atividades interativas

A primeira ideia é que as atividades propostas para as crianças sejam interativas, utilizando estratégias que solicitem a participação delas constantemente. Essa proposta aumenta as chances de manter os alunos envolvidos com a aula e potencializa a aprendizagem.

Sendo assim, as escolas devem evitar aulas expositivas em que só o professor falar. Por mais que as atividades fiquem mais demoradas, é muito interessante que haja a interação entre os participantes. Além disso, o professor deve sempre buscar compartilhar o conhecimento de forma lúdica, falando a “língua das crianças”.

Além de utilizar meios eletrônicos para aumentar a participação das crianças, outra boa ideia é pedir para que cada uma delas mostre e explique as tarefas que elas realizaram. Lembrando que ao verbalizar algo que fez, a criança também está aprendendo.

Participação dos pais

Conforme a recomendação do MEC as escolas devem procurar estreitar o vínculo entre a família e a instituição. Por isso, a nossa outra dica para que a aula online da educação infantil na pandemia seja o melhor possível é promover ações que tornem os laços entre a família dos alunos e a escola mais próximos.

Vale ressaltar aqui que é necessário ter cuidado para não exigir um grande comprometimento dos pais, afinal, nesse momento delicado, muitos estão com uma carga de trabalho elevada.

O período que corresponde ao Coronavírus é bastante desafiador para os educadores, especialmente na educação básica. Por isso, é preciso se reinventar para continuar educando os alunos da melhor forma, principalmente os da educação infantil na pandemia.

Se você chegou até aqui significa que provavelmente está interessado em proporcionar o melhor para as crianças da educação infantil na pandemia. Isso é ótimo! Então, para não perder nenhuma informação sobre educação e tecnologia siga as nossas páginas Facebook, YouTube e Instagram e fique por dentro!